Certifique-se num produto IBM este mês

A IBM realizará nos dias 26 e 27 de setembro uma sessão para que estudantes, professores e profissionais de TI possam obter certificações IBM. As certificações que serão disponibilizadas são: Tivoli, WebSphere, Rational, DB2, Cognos, Collaboration, Security, Commerce, UML, SOA, BPM, XML, Cloud Computing entre outras.

Batizado de IBM Smart Professional, o programa tem valor promocional de US$ 30 para alunos e professores de cursos de TI. Para profissionais com algum tipo de parceira coma  IBM o valor é de US$ 100 e para outros profissionais US$ 200.As sessões serão realizadas na Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP), Avenida Lins de Vasconcelos, 1.222, em São Paulo.

Para se inscrever acesse o link: http://goo.gl/Tdb4wN

Windows Server 2012 – Configurando Backup Online

O Windows Server 2012 inclui diversos recursos novos e aprimorados, alguns deles muitas vezes passam despercebidos. O objetivo deste post é explicar como configurar e usar um destes recursos ‘’backup online’’.

O recurso de backup online do Windows Server 2012 fornece-lhe uma opção de armazenar alguns de seus backups na nuvem (Windows Azure). A oferta atual oferece este recurso gratuitamente por 90 dias, permitindo o armazenamento de até 300 GB por conta. Este recurso está disponível como download adicional, um agente do Windows Azure que precisa ser instalado no seu ambiente para ser possível utilizar o recurso de backup online.

Instalar, configurar e usar o recurso de backup online é muito simples, basicamente o que você precisa fazer é instalar o agente de backup online e criar o cronograma com a seleção que será feito o backup. Continuar lendo

Novidades VMware vSphere 5.1

Desde segunda-feira (27/08) está acontecendo em San Francisco (EUA) a VMworld 2012. Quem já acompanha a VMware a algum tempo sabe que é na VMworld que acontecem os principais lançamentos da companhia. E esse ano não foi diferente. Entre os principais anúncios feitos até o momento, os que foram mais comentados/divulgados são:
– Mudança no modelo de licenciamento

VMware – Lança novo conjunto de certificações – VCP-Cloud, VCAP-CID e VCAP-DTD

A VMWare, maior fabricante de soluções para virtualização, acaba de lançar mais um conjunto de certificações. Algumas delas focadas em Cloud Computing e outras focadas em design de arquitetura de soluções para alguns de seus produtos.

VCP-Cloud, VCAP-CID e VCAP-DTD. Continuar lendo

Computação em Nuvem possibilita inovações em modelos de negócio e criará novos empregos

Um estudo da IBM apresenta seis propulsores da computação em nuvem para modelos de negócio inovadores, enquanto que um artigo do IDC estima que a computação em nuvem criará em 2015 catorze milhões de empregos ao redor do mundo.

A IBM conduziu um estudo avaliando como as empresas utilizam hoje a computação em nuvem e quais são os planos para o futuro com vista no impacto que este conjunto de tecnologias pode gerar no atual modelo de negócios. A pesquisa envolveu 572 empresas e executivos de TI em todo o mundo e resultou em um artigo com o título O poder da nuvem. Conduzindo a inovação no modelo de negócios (PDF).

O estudo da IBM não pode ser generalizado como uma visão de todo o mercado de TI, contudo oferece uma visão sobre a aplicação de computação em nuvem em grandes corporações. 13% dos entrevistados afirmaram que já implementaram soluções de computação em nuvem. Outros 21% afirmam estarem em processo de adoção e 38% dos avaliados aplicam esta tecnologia em projetos piloto. No total, 72% das corporações entrevistadas aplicam tecnologias de computação em nuvem. Esta adoção está em expansão e nos próximos 3 anos espera-se que 90% das empresas adotem soluções de computação em nuvem. O gráfico abaixo esboça esta tendência:

Embora uma grande percentagem dos entrevistados considerem a computação em nuvem uma tecnologia que mudará o cenário de TI, o estudo conclui que “o potencial para inovação no modelo de negócios ainda é praticamente inexplorado”. O estudo destaca seis características da nuvem que podem inovar o modelo de negócio:

  1. Flexibilidade nos custos: A nuvem muda o paradigma atual de custos fixos para um modelo de custos variáveis (pague somente pelo uso);
  2. Escalabilidade de negócios – Provê computação escalável a um bom custo benefício à medida em que a demanda aumenta;
  3. Adaptabilidade a tendências do mercado – Possibilita lançar produtos mais rapidamente e facilita experimentações;
  4. Redução da complexidade – Possibilita uma expansão da sofisticação dos produtos oferecidos e possibilita mais simplicidade ao usuário final;
  5. Variabilidade orientada ao contexto – Possibilita uma experiência personalizada aos usuários, aumentando a relevância do produto;
  6. Conectividade ao ecossistema – Promove novas redes de valor e potencializa novos negócios.

Outro estudo realizado pelo IDC (PDF) tenta medir o impacto da adoção da computação em nuvem na geração de empregos. Este estudo utiliza uma definição ampla de computação em nuvem, incluindo serviços de storage, virtualização de infraestrutura, automação de configuração e escalabilidade. O IDC prevê que a computação em nuvem criará nos próximos quatro anos 14 milhões de empregos em todo mundo:

Quase metade destes empregos serão criados na China e na Índia, seguidos pela Asia, Europa, África e América do Norte:

Embora o futuro possa não ser tão promissor quanto o projetado pelo artigo, as estatísticas sugerem que a computação em nuvem será bastante comum em um futuro próximo e muitas iniciativas de negócio farão uso dos benefícios da nuvem em seus produtos e serviços.

Cloud Computing – Cada vez mais procurada nos profissionais de TI

A Computação em Nuvem (Cloud Computing) deverá redefinir o perfil de milhares de empregos a serem criados na área de TI nos próximos anos. E nós, como profissionais de TI, que pretendem manter-se atraentes no mercado ao mesmo tempo em que ficam mais preparados para suportar as demandas onde trabalhamos, é imprescindível.

Segundo artigo da InformationWeek

Um estudo recente da Microsoft previu que quase 14 milhões de novos empregos serão criados até 2015, como resultado do crescente adoção da computação em nuvem.

Na parte técnica, faz bem se preparar com cursos tecnólogos ou MBA’s de especialização focados no tema de Cloud Computing. Mas além disso, devemos também ficar atentos a forma de comportamento, de como pensamos a TI nessa nova era.

Jeff Kaplan, da THINKstrategies, uma empresa de consultoria estratégica consultoria especializada, nos paresenta 5 maneiras alinharmos nosso perfil profissional à Computação em Nuvem, à medida em que mais empresas estão adotando esse modelo:

1 – Aja como um integrador de sistema:  só porque escolheu a nuvem, não significa que não há ajustes internos a serem realizados. “A maioria das empresas têm sistemas legacy e softwares já instalados no local. Como resultado, o pessoal de TI precisa avaliar como as fontes de nuvem se integrarão com as fontes existentes”.

2 – Pense como um CEO:  a popularidade da computação em nuvem não se resume apenas à implementação de uma tecnologia interessante. Segundo Kaplan, é uma forte reação à ausência estereotipada de visão de negócio dos profissionais de TI e sua lentidão de reflexos de reação. “A TI está centrada muitas vezes na tecnologia e não às necessidades de negócios de seus usuários finais”, essa é mais uma razão para os profissionais serem mais proativos para falhas tecnológicas e problemas em negócios em um ambiente de computação em nuvem.

3 – Obtenha certificação: é possível se informar sobre os prós e contras da computação em nuvem por meio de blogs, sites e revistas, mas se você ainda está confuso, Kaplan aconselha inúmeros cursos de certificação de fornecedores em nuvem como a Amazon, Rackspace, Google e Salesfore. “Há mudanças quanto às linguagens que são relevantes para esse novo espaço… especialmente porque muitas dessas aplicações são movidas para a rede”.

4 – Seja um provedor de nuvem: está buscando um provedor de nuvem? Bem, não se surpreenda se seu empregador lhe pedir que crie uma nuvem privada. “Os profissionais de TI em empresas maiores podem ser convidados a reestruturar ou redesenhar seus próprios datacenters para rivalizar com os líderes em nuvem”.

5 – Considere-se um provedor de serviço interno: como o ambiente de computação em nuvem muitas vezes depende de uma arquitetura com base no desempenho, Kaplan diz que os profissionais de TI especializados no acompanhamento e distribuição de recursos em nuvem vão ter grande demanda. “É preciso ter recursos de monitoramento e gerenciamento incorporadas para medir e possivelmente cobrar por serviços de desempenho”. Saber gerir esses serviços é essencial para construir um ambiente bem-sucedido em nuvem – e talvez até manter seu emprego.

Trata-se de uma nova forma de pensar os serviços de TI, e para nós, profissionais, não é mais uma opção. É questão de sobrevivência, independente de nossa profissão dentro da TI, ainda que apenas usuário da nuvem.

Os pontos em destaque acima são do artigo da InformationWeek.