Kanban para os céticos: analisando e derrubando mitos negativos

Como um agente de mudanças, devemos assegurar as pessoas de que vale realmente a pena seguir o caminho escolhido. Essa necessidade se torna aparente em críticas e perguntas difíceis. Vejo isso com frequência atuando como coach de equipes ágeis. O mesmo acontece ao se introduzir o Kanban. Porém percebi que a partir do momento em que as pessoas aprendem o básico e começam a explorar o assunto por conta própria, surgem questões muito mais difíceis, em níveis de gestão e liderança. Um exemplo: “Como podemos planejar já que medimos em vez de estimar?” Continuar lendo

Anúncios