Business Design – Um novo conceito de desenho de negócio

business design

Business design oferece uma forma diferente e sistêmica de se pensar a inovação

A maioria das grandes empresas no país possui áreas de negócio bem desenvolvidas. Muitas delas também contam com setores de marketing e de P&D bem estruturados, com profissionais competentes e propostas de trabalho eficientes. Mas quantas podem afirmar que essas áreas atuam de forma integrada e em harmonia com os propósitos de inovação da organização? “Poucas”, afirma Daniel Saad, diretor da Inventta+drive. “A maior parte das empresas possui as competências, mas nem sempre as diferentes áreas dialogam de forma consistente em esforços conjuntos para inovar”.

A solução para o desafio de aproximar e conectar de fato áreas com expertises, linguagens e mindsets tão diversos já não passa mais pelos modelos tradicionais de gestão. “Estão surgindo formas diferentes de se pensar e de se desenhar negócios”, pontua Leonardo Dornelas, diretor da Inventta+drive. Uma dessas novas formas é o business design.

Durante muito tempo, o processo de inovação nas empresas se deu de forma compartimentada: a inovação de um processo, de um produto, de uma marca. O que o business design propõe é uma visão do negócio de forma mais ampla e, principalmente, sistêmica. “A partir de metodologias e ferramentas, o que oferecemos a nossos clientes é uma remodelagem de seu negócio, permitindo que diferentes setores da empresa dialoguem entre si. A inovação acontece da comunhão de vários conhecimentos”, salienta Leonardo.

Três ângulos

Para que essa remodelagem ocorra, todos os projetos são analisados por três diferentes ângulos. O primeiro deles é o fator humano: a forma como a organização lida com seus stakeholders, sejam eles os líderes da empresa, os funcionários, clientes ou concorrentes.

O segundo ângulo é o da tecnologia. Para oferecer soluções inovadoras, é preciso, antes de tudo, estar ciente das novas descobertas, dos novos processos e ferramentas de trabalho. É conseguir enxergar a direção em que o mundo está caminhando e acompanhar de perto.

Por fim, o terceiro ângulo considerado dentro da concepção do business design trabalhada pela Inventta+drive é o do ambiente de negócios em si: o olhar técnico e financeiro, diretamente voltado para o mercado.

O design thinking

O processo de design no contexto da remodelagem de negócio tem uma dimensão bem mais ampla do que o sentido puramente estético. O design, nesse caso, refere-se à metodologia e ao processo de criar novas soluções, sejam elas produtos, marcas ou ferramentas. “Por outro lado, é também agregar uma forma de pensamento antropológico, de não olhar apenas para o negócio, mas também para as pessoas envolvidas”, afirma Leonardo.

Conhecido por ser um conjunto de etapas que insere as pessoas no centro do desenvolvimento de um projeto, utilizando-se de suas competências e criatividade para o entendimento real do problema na busca por soluções inovadoras, o design thinking se encaixa de maneira precisa na forma com que a Inventta+drive desenvolve o business design.

“Fazemos uso de várias formas de pensar, uma delas o design thinking, e de diferentes ferramentas para poder desenhar negócios. Para isso, encaramos os projetos pelos três ângulos e contamos com profissionais especializados em cada uma dessas áreas”, explica Daniel.

Além do design thinking, o business design utiliza-se de diversas outras ferramentas e metodologias, tais como o business modeling, etnografia aplicada, branding, cadeia de influência e prototipação rápida, dentre outras. “São metodologias que temos internalizadas e das quais nos valemos constantemente”, salienta Leonardo.

Futuro

Determinar que o business design é um novo modelo definitivo de se pensar um negócio seria impossível. Porém, tanto Daniel quanto Leonardo acreditam que o pensamento sistêmico será cada vez mais importante para a criação de valor para as organizações. “As inovações de impacto virão de empresas com habilidade de olhar para as diferentes dimensões do negócio, através de equipes multidisciplinares, com competências e formas de ver o mundo complementares. Quem não fizer isso estará correndo sério risco de ser atropelado por tendências emergentes de comportamento, tecnologia ou mercado sem se dar conta”, diz Daniel. “É o caminho para as empresas que querem realmente se diferenciar no mercado”, complementa Leonardo.

Como funciona na sua empresa?

O business design propõe um redesenho do negócio com a integração de diferentes setores das organizações, para que a inovação possa acontecer de forma natural e envolvendo todos os atores. Esse processo ocorre na sua empresa? Quais as principais dificuldades enfrentadas?

Blog Gestão e Inovação

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s